terça-feira, 19 de março de 2019

Volta a Portugal em Bicicleta?




Há modas que nem me pagassem eu usava... há coisas que simplesmente, não vale a pena meus amigos. Apareceu num determinada altura da vida, passou e não vale a pena voltar ao mesmo...
Esta dos calções de ciclista, é uma delas. Mas quem foi a primeira alma, que se lembrou de usar esta beleza e pensou: Vou sair de casa assim que hoje apetece-me imenso sair como se fosse fazer a volta a Portugal em bicicleta. E depois outras moças, olharam e disseram: Se esta é capaz de sair assim como se fosse fazer a Volta a França em bicicleta (aumentaram logo em ambição) eu também quero! Só pode ter sido uma coisa assim... e pronto! Começaram aparecer uma e outra. 
Eu só de me imaginar dentro de uns destes e sair à rua, já faz o meu cérebro, rir às gargalhadas. É que fica uma espécie de frango depenado nas pernas e umas meias enfiadas a meia haste.  
Mas que as moças se vistam assim, são adultas e fazem o que quiserem mas uma mãe comprar isto para as suas crianças, já acho abusivo 😆😅
Não conseguia sujeitar a minha criança a tal moda, até posso assumir que ela ficaria bem melhor que eu enfiada naquilo mas não vale a pena a violência. 

quinta-feira, 14 de março de 2019

@vivirsinpermisoserie Falemos do que interessa!!!


Vamos lá falar de coisas interessantes! Série Netflix!
Não das mais conhecidas que isso todos falam mas esta que estou a ver em particular. "Vivir sin permiso"

Gosto de variar e não só ver séries americanas, que há muita coisinha boa nesse mercado fora e depois da Casa de Papel, comecei a ver mais umas séries espanholas. Já vi "Fariña", já fui visitar os locais da série na Galiza (sim somos assim) e agora vejo esta "Vivir sin permiso"
Basicamente Nemo Bandeira, um negociante com fachada de homem de negócios limpo, é diagnosticado com a doença de Alzheimer e tenta escondê-lo da família enquanto começa a pensar em quem pode ser seu sucessor. E a luta por esse poder.
Mas para já, chamo atenção para a qualidade visual do actor Álex González. Se não se interessam pelo negócio da droga, podem ver a série pelo actor que faz de Mario Mendoza. Temos de ir variando pois já estamos fartas dos mesmos sex-symbols americanos e afins! Cá está, um espanholito, aqui no país vizinho e que a SAV aprovou visualmente! Pelo menos a probabilidade de o encontrar neste mundo é bem maior. Vai cá o meu like para o moço!




terça-feira, 12 de março de 2019

Jessica Simpson

Sempre conheci esta moça como actriz, sei que também canta e tal mas nunca a conheci por isso e muito menos por sapatos.  Mas em tempos que eu era fã/compradora do site Heels.com que entretanto foi comprado pela Aldo, lá vendiam a colecção da moça. 
Só mais tarde, associei a quem realmente era a Jessica Simpson, mas gostei logo do estilo da colecção. 
Eu que sou uma esquisitinha no que respeita a tacões, sejam de sandálias ou sejam de botas. Até posso gostar do padrão, do design mas se o tacão não me agradar, não compro! Para mim o tacão faz toda a diferença na elegência do sapato. Quando lançar a minha colecção, eu vou-me focar nos tacões 😆😆
E nesta moça, gosto bastante do conjunto de quase todos os pares, nunca comprei nenhum pois vinham dos States e não valia a pena pagar alfandega. Agora sei que já vendem em mais sítios e os preços não são de todo inacessíveis. 




A quote a day keeps the doctor away #1364


sexta-feira, 8 de março de 2019

Dia da Mulher

Stock Photos /Shutterstock

Já sei que não é consensual este dia para todos, uns exaltam e outros dizem que não devia existir pois é sinal que existem desigualdades. A verdade é que existem MUITAS! 
Não me faz confusão, e olho para ele como olho para outro dia internacional, assinala que houve algo de muito errado no passado no que respeita aos direitos das mulheres. E pior ainda, persistem até aos nossos dias. 
Demasiadas injustiças, violência e discriminação. Basta ver os números de mulheres assassinadas em Portugal desde que começou o ano 2019, são 13 mulheres assassinadas, uma brutalidade! 

Mas que raio, já não estamos em 2019, já não sabemos o correcto e o errado, será que não se aprende nada com o passado? Será que a evolução, as conquistas, a informação não vale de nada? Pelos vistos não! 
É assustador para mim como mulher, e principalmente como mãe, olhar para estes novos tempos com um olhar de incredulidade com o que assistimos na sociedade. Ler estudos que revelam que "67% do total dos jovens legitimam pelo menos um comportamento de violência" no namoro, para mim é arrepiante. "27% dos jovens inquiridos não reconhecem este comportamento como violência, sendo a violência física o tipo de comportamento menos legitimado (9% dos jovens legitimam este tipo de violência). Para a investigadora, “é a menos legitimada, mas também preocupante, porque é a violência mais falada, é a violência mais visível e mesmo assim 9% dos e das jovens ainda acham normal este tipo de comportamento”."
Como é possível acharem normal? 

E aqui eu digo que ainda há um caminho muito longo a percorrer por todos, pelas próprias mulheres, inclusive. Por elas a si mesmo, através da auto-estima, saberem o valor que têm e gostarem delas próprias. Isto só por si, faz uma grande parte do trabalho pois dá-nos armas para dizer que NÃO, para não aceitar o medíocre para a nossa vida, para denunciar e acima de tudo dar armas para combater o medo. 
Um caminho a percorrer, por todas as mães que educam os nossos adultos do futuro, educar para a igualdade, não fomentar comportamentos enraizados como normais na sociedade. Há pequenos passos que somos nós que podemos dar para um futuro melhor. 
Arrepio-me quando leio artigos de opinião de mulheres que falam como se estivessem nos anos 50, que falam em nome das mulheres, como se o papel da mulher seja uma cena tão redutora como meia dúzia de palavras conservadoras, regurgitadas por uma mulher e aplaudida por outras. E penso, que algo não vai bem neste mundo. Isto só pode ser educacional. 

Há dias eu escrevi: "Gostava de saber como é que vou explicar à minha filha, que afinal a justiça nem sempre nos protege dos agressores, que juízes como este ainda está lá, a decidir a vida de quem lhe passa pelas mãos... 
E quando me perguntar, afinal em quem confiar, a esta altura já não sei o que lhe responder 😔😞 se calhar na sorte..."
E hoje o Dia da Mulher, tenho de explicar-lhe para que serve este dia, porquê é que ainda temos tanto caminho para andar e acima de tudo, tudo aquilo que ela não pode aceitar quanto Mulher e cidadã deste mundo. 

A quote a day keeps the doctor away #1363

A Vida em Azul Cueca

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Sem palavras...

Stock Photos Imagem por six o'clock/Shutterstock

Sempre fui muito sortuda no que respeita amizades. Consigo identificar amigas/os em cada fase da minha vida, em cada momento tenho aquelas que fizeram parte da minha vida. Nem todas se mantêm até aos dias de hoje, a vida nem sempre acompanha o ritmo de cada um, mas posso afirmar que todas foram muito importantes para aquele período da minha vida. 
Envelhecer tem este privilégio, olhar para trás e conseguir ver quem de facto foi importante para nós, para a nossa vida, nem que fosse somente naquela altura da vida. Não faz diferença, todos à sua maneira fizeram quem eu sou hoje. 
E nisso, as amizades para mim são o pilar. Bons amigos não se encontra ali na esquina, daqueles que estão connosco para o que der e vier e esses valem ouro quando se encontra...
Éramos 3 no Liceu, nos últimos 3 anos do Liceu, eu, a Susana e a Lúcia. Andávamos sempre juntas, sempre as achei "muito à frente", olhava para elas e achava-me sempre mais nova. Não sei bem explicar mas se calhar a minha ingenuidade encaixava na modernidade delas. Os dramas amorosos, as tardes passadas a conversar, e o nosso mundo era perfeito. 
Avançamos para o ensino superior, umas para um lado e outras para outro. Amizade ficou naqueles corredores e naquele tempo só nosso. Perdemos o rastro umas das outras mas a vida seguiu para cada uma, dentro das escolhas de cada uma. 
Hoje o meu mundo ficou mais triste, hoje recebi a notícia que uma partiu... que a minha amiga de liceu foi levada cedo demais. Juro que não acreditei, que era surreal demais para ser verdade. 
Tinha a minha idade, filhas, marido, pais, amigos e partiu, levada por aquela doença que é assustadora demais. Não queria, nem quero acreditar... mas porquê? 
Faz-me sentir pequena e impotente perante tamanha monstruosidade, faz-me pensar que nada é garantido nesta vida, que temos de agradecer todos os dias, estar cá e com saúde. Poder ver os filhos a crescer, e nós a envelhecer. Quando me dizem que têm receio de envelhecer, eu digo sempre adoraria envelhecer. Hoje em dia envelhecer é o maior privilégio que se pode pedir para a nossa vida. 
E estas noticias, são como uma bofetada que levamos, um golpe no coração que nos faz pensar e por tudo em perspectiva. 
Não sei para onde foste ou o que existe para lá, mas sei que para onde fores, tudo ficará mais iluminado. 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Ajudam, a Sav Maria?

Aqui a menina tem uma comunhão, a modos que a da minha criança, ando às aranhas com o que vestir... Não quero nada muito caro, é bem verdade mas também estou indecisa com o vestido que quero levar no dia. Prefiro vestidos mais compridos mas tenho algumas dúvidas... Escolhi estes modelos, podem me dar a vossa opinião? Qual escolheriam? Por ordem do 1 ao 15. 



PriMania Sav!

Primark

Acho que tenho de dar um salto à Primark, há coisas que eu não consigo resistir por lá, confesso! Há coisas que de facto não têm a maior qualidade do mundo mas consigo muitas vezes encontrar coisas tão fofas. 
Já sei que as sapatilhas ali não tem haver com os outros itens mas a ideia é mesmo mostrar o que me chamou mais à atenção e que provavelmente me vai fazer lá ir. Quero tudo e mais alguma coisa que de certeza vou encontrar lá! 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Macacões Acessíveis

ZARA

1. MANGO * 2. LANIDOR * 3. BERSHKA

Por vezes ando por essa net fora e vou apanhando uma ou outra foto de  peças que eu gosto e vou ficando com elas guardadas para futura inspiração. Independentemente, de algumas peças serem um atentado à carteira de qualquer individuo do proletariado, eu não olho ao preço para me inspirar (até porque ainda não se paga imposto). 
E quando publiquei um que me agradou particularmente, pediram-me para fazer uma lista de macacões mais acessíveis mas igualmente giros. Dei uma volta nas lojas e encontrei estes acima mas os que gostei mesmo são os que se compram online. Ficam alguns exemplos! 








sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

It´s Friday! I´m in Love ♥

Blusa 

Acho que ainda estava em falta em mostrar aqui esta blusa, pois ainda não tinha publicado. Já tinha publicado no Stories a saga que passo com ela com esta questão dos botões. 
Eu adoro a blusa mas digo-vos, apertar e desapertar isto, é uma emoção e desespero. 😅 
E de facto lembro-me das noivas que escolhem este tipo de vestido para o seu casório. A verdade é que para elas está tudo bem 😆 pior é para quem tem de apertar e desapertar estes botões, é um suplicio.
Desculpem a cor da primeira foto mas estava muito sol e o telemóvel não foi muito fiel ao original. A cor dela é mais este bordeaux das fotos abaixo. 
Mas é fresquinha e giraça para estes "pré-dias-de-primavera".
Ahh e se quiserem comprar com um descontinho extra, podem usar o código: Cristina10 (%10 extra de desconto em compras superiores €60)
Boas Compras! 





1 conjunto fácil para usar no "pós" Dia dos Namorados #3



A quote a day keeps the doctor away #1356


quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Pancadas Amor 😶

Stock Photos Por Kamil Macniak/Shutterstock
"Se não gosta que uses maquilhagem", "se a discussão acaba sempre com uma ameaça", "se te humilha frente a outras pessoas" ou "quando te proíbe de falar com outras pessoas", são sinais de violência que a campanha pretende combater.
"Se o teu namorado ou namorada tem atitudes que te deixam desconfortável, com o objetivo de te controlar, dominar ou humilhar, isso é um sinal de que algo está errado e isso não é um namoro a sério", é uma das mensagens principais da campanha."

Mais de metade dos jovens já sofreu violência no namoro e maioria acha natural 

Noticia do JN 

Quanto mais tempo passa e pensamos que agora sim, estamos evoluídos, eu olho para as noticias e vejo que algo de errado se passa na sociedade. 
Pensamos nós que já passamos o pior, que as guerras são coisas do passado e que as discriminações são coisas de mentes retrógradas e que a violência conjugal são coisas de uma geração mal instruída. Mas daí ao que verdadeiramente acontece, vai uma longa distância. Olho à minha volta e vejo cada vez mais intolerância, discriminação e violência. E sinto-me assustada! Assustada porque tenho uma criança que está a crescer num mundo que nunca pensei estar a voltar no tempo. 

Desrespeito, falta de civismo, falta de educação, isto é de base senhores! 
Nós somos responsáveis pelos jovens que serão o nosso futuro, não se pode tolerar enquanto educadores faltas de respeito, faltas de educação e falta de civismo para com os outros. 
Até podem não concordar mas eu corrijo vezes sem conta os comportamentos menos correctos da minha criança. É natural que não queiram cumprimentar os outros, dizer Obrigada, agradecer, simplesmente porque são crianças mas o nosso dever é corrigir. É mostrar qual o comportamento correcto, é insistir! 
Uma coisa é ser tímido e outra bem diferente, é ser mal educado. 
É preciso ensinar que não é correcto bater nos outros, insultar, ou mal tratar os colegas. É preciso como educadores, dar o exemplo e agradecer e cumprimentar e dizer Bom dia! Quantas vezes vejo verdadeiros parvalhões ao volante, na rua ou em espaços sociais que não respeitam ou outros em frente aos seus filhos... e como serão estas crianças quando forem adultas? Com estes exemplos em casa? 

É ensinar que somos todos iguais, que somos todos feitos da mesma matéria, independentemente da sua cultura, orientação sexual ou religiosa. É dizer aos meninos e às meninas que ninguém é melhor que ninguém, que somos todos iguais (sejamos Homens ou mulheres) É um trabalho diário, o nosso trabalho. Dá muitoooo trabalho, sim! É mais fácil fazer de conta que tudo se resolve e que eles aprendem com a vida, na net ou com os colegas. E isto é arriscar o futuro dos nossos filhos, é confiar na sorte, e talvez estar a contribuir para adultos disfuncionais. 

Quando leio estas noticias fico assustada como é possível acharem normal ou natural a violência no namoro? A falta de respeito, a manipulação, a violência como algo que faça parte do Amor (?????) 
Algo aqui me escapa, e alerta para o que anda por aí nesta sociedade que se diz evoluída.