terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Finalmente Alguém que pensa como eu! "Ó Sr. Prof. Dr. Eng.!"

Se vocês andam por cá há um tempo sabem (ou deviam saber) que se há coisa que me causa urticária são os títulos e as pessoas que o exibem como se fosse algo de importante.
Ao ler este artigo, só consegui dar gargalhadas à medida que avançava na leitura! Se a autora estivesse aqui ao meu lado dava-lhe um beijo. Se calhar por eu ser uma pessoa do mundo, de trabalhar todos os dias com meio mundo pense exactamente como a autora. Não precisei de emigrar para chegar a esta conclusão.
As pessoas são aquilo que valem e não o canudo que tiram em qualquer altura da sua vida. Não é sinal de status, de bom emprego ou bom ordenado e muito menos de inteligência.
Quando eu quero recordar as memórias do meu curso superior, chego a casa e abro o álbum de fotos ou vou abrir o guarda fatos e vejo lá a minha capa de estudante. Não preciso de um título de uma coisa com a qual não me identifico minimamente ou sequer me identifica como pessoa ou como trabalhadora.
Não deixem de ler:
 
"A utilização de títulos é muito importante em Portugal.
Na Grã-Bretanha, existem muitos títulos. Há Lords e Ladies, Dames, Dukes e Sirs, e não devemos esquecer Majesties e Highnesses. No entanto, acontece que não há muitas pessoas com títulos desse género. Existem, por outro lado, os títulos profissionais: por exemplo, “Reverend” para os padres anglicanos, “Doctor” para os médicos (até chegarem a “consultants”, quando se tornam Mr. ou Mrs. de novo), ou “Professor” para os catedráticos nas universidades. Fora das forças armadas e da magistratura, não há outros títulos profissionais. Existem, claro, pessoas que levam os títulos demasiado a sério, mas há ainda mais que lhes ligam nenhuma.
Até o uso de Mr. ou Mrs. (ou Miss ou Ms.) se reduziu muito nestes últimos cinquenta anos. São formas utilizados de uma maneira parecida à de Sr. e Srª. em Portugal, para mostrar um certo respeito, falta de reconhecimento, ou para manter uma distância saudável de pessoas que não suportamos. Estas formas de tratamento são muitas vezes esquecidas logo que se estabelece uma razoável familiaridade entre as pessoas, até no emprego. Não me lembro de alguma vez ter chamado Mr. ou Mrs. a um chefe.  
O título Dr. é utilizado para anunciar publicamente que essa pessoa dá jeito no caso de nos encontrarmos doentes, e não para suscitar adulação ou respeito (as pessoas com doutoramentos podem intitular-se Dr., mas muitas não usam o título, talvez para evitarem ser chamadas num avião quando outro passageiro sofre um ataque cardíaco.)
Na Grã-Bretanha, os veterinários não são Drs., e os arquitectos não têm título, nem os engenheiros. Estes profissionais usam letras a seguir aos seus nomes, para utilizarem em sítios oficiais, para explicarem que são qualificados e registos com as instituições respectivas, mas não há veterinário que espere de um agricultor humilde que lhe diga: “Bom dia, Mr. Harris, BVetMed MRCVS, pode dar uma vista de olhos à minha vaca, se faz favor?” Os professores não têm título profissional, nem os outros diplomados, com a excepção dos de medicina.
Em Portugal, também há muitos títulos… e muitas e muitas pessoas que os usam.
Há tantos doutores que não há nada de especial em ser doutor. Doutores de medicina SÃO especiais, e estarei sempre disposta a chamar-lhes o que quiserem, sempre que a minha vida estiver nas suas mãos.
Se o leitor é arquitecto, irrita-se se o pedreiro não lhe chamar Sr. Arquitecto em sinal de respeito, mesmo sabendo que pelas suas costas ele lhe chama idiota? E o leitor chama-lhe o quê a ele? Sr. Pedreiro? Não, chama-lhe o Zé (ou talvez “Sôr” Zé). Se você é engenheiro, sente-se respeitado porque uma pessoa utiliza o seu título correcto, mesmo que eles se riam da sua insistência em ser chamado Sr. Engenheiro?
É tudo porque quer ser respeitado publicamente, não é? Mais: quer ser considerado melhor do que os outros e tratado melhor do que os outros, só porque tem uma licenciatura ou mestrado desta ou daquela espécie?
Clamar por respeito é pouco digno e absurdo, porque o respeito devia-se ganhar (para além de ser simplesmente merecido quando se é um ser humano decente) através do que uma pessoa realmente faz bem. Não? Parece que há pessoas que consideram os títulos académicos mais importantes do que o trabalho, do que curar, do que construir, do que ensinar, do que desenhar, do que a coisa que realmente nos define e justifica o respeito dos outros — o trabalho duro e honesto.
Aos meus olhos estrangeiros e patetas, todos estes títulos revelam falta de auto-estima. Quase ninguém parece capaz de quebrar a tradição, e de dizer “por amor de deus, chame-me Zé, não Sr. Dr. Prof. Eng.”. E assim, o sistema dos títulos excessivos continua, de tal modo que dá ideia de que o respeito público depende de um mero título universitário. É uma grande pena, porque Portugal realmente tem muitas, mas muitas pessoas que merecem respeito e justificam orgulho, sem precisarem de ser doutores.
(Traduzido pela autora a partir do original inglês)
 
Lucy Pepper
In "Observador"
 

Como Educar os Filhos para o Sucesso



É com artigos como este que eu acredito cada vez mais que "o tempo" é o nosso maior aliado na educação das nossas crianças. Não é o colégio XPTO ou o último modelo de qualquer outra coisa para eles.
E é por isso que luto todos os dias para ter mais tempo para ela, para lhe dar beijos e abraços (e já dou tantos) e juntar os três e rebolar no tapete. Sem nada de complexo, só Amor e uma boa dose de gargalhadas. O meu futuro é ela e é ela que precisa mais de mim! Bem mais do que do dinheiro que eu lhe possa dar ao roubar "o tempo dela" para ganhar esse dinheiro. Não deixem de ler:
 
(...) Mas como é que tudo isto se consegue? E o que é que depende, de facto, dos pais? Afinal, toda a gente sabe que os pais não controlam tudo, que há muitos outros agentes que contribuem para a formação de uma criança. Pelo sim, pelo não, há quem se previna começando por inscrever as crianças em infantários-topo-de-gama. E há quem se mate a trabalhar para garantir que os filhos possam frequentar as melhores escolas e, mais tarde, as melhores universidades. Mas se é verdade que as crianças podem beneficiar (e muito) de um ensino que as estimule e que lhes permita desenvolver competências e concretizar sonhos, é fundamental que assumamos a realidade como ela é: o sucesso dos nossos filhos depende muito menos destes recursos e muito mais do vínculo que formos capazes de construir com eles. É verdade! A felicidade das nossas crianças e até o seu rendimento escolar (e mais tarde profissional) depende maioritariamente de algo que é grátis: a conexão com os pais. Não é a creche XPTO, as 123 atividades extracurriculares nem a poupança no banco que hão de garantir que os nossos filhos sejam adultos felizes e bem-sucedidos. É o tempo que formos capazes de lhes dedicar. É a capacidade de resposta às suas necessidades – físicas e emocionais. É a segurança emocional que resulta de se sentirem amados. É o toque – os gestos de afeto, os mimos, os beijos e os abraços. São os “Nãos” devidamente explicados. (...) - "A Psicóloga" Ler mais aqui

Serás Meu, certo e certinho!

Blanco

E estas sandálias? Lindas


Blanco

A quote a day keeps the doctor away #607

Hoje o meu dia resume-se a isto! Vou precisar de muita hoje...
Today is The Day!


segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

Setembro, vamos começar?

 
 
O mês de Setembro sempre teve uma carga muito positiva para mim. Li há bocado no blog da Filipa que para ela isto era o começo de um novo ano e lá no fundo também acho que sim! Não propriamente com as mesmas razões mas porque o mês de Setembro é sempre carregado de coisas novas na minha vida. Há um ano atrás, a cirurgia da Sabrininhas dominou a minhas forças e este ano, neste mês, vai ser novamente de desafio para mim e para ela. Ela vai para a "escola"! Não sei quem está mais ansiosa, se ela ou eu! Sei que para nós este vai ser o virar de uma página e de um capitulo cheio de tormentas e o nosso barco vai entrar em modo de cruzeiro. Eu sei que sim, merecemos isto.
 
Setembro vai ser o mês de finalmente colocar na prateleira a primeira metade do ano e guarda-lo onde ele deve estar... no passado! Começar o mês com novo ânimo e vontade de mudar o mundo, o meu mundo!
Mês de me auto disciplinar sentimentalmente e viver a vida exactamente como ela é: Maravilhosa! Sentir o Amor na forma mais pura e deixar a vida me levar para onde sei que é o meu lugar. Tentar fazer de mim alguém melhor e dar o melhor do mundo a quem amo de coração aberto.
Eu sou complexa e intensa confesso... e nem sempre justa mas gosto de amar e muito! E agradecer a cada dia que passa ter a vida perfeita dentro da minha enorme imperfeição!
Já disse que Gosto de Vocês? ♥

A quote a day keeps the doctor away #606


sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Vamos preparar o fim de semana?

 

I miss the taste of a sweeter life
I miss the conversation
I’m searching for a song tonight
I’m changing all of the stations

I like to think that we had it all
We drew a map to a better place
But on that road I took a fall
Oh, baby, why did you run away?

I was there for you
In your darkest times
I was there for you
In your darkest nights

But I wonder where were you
When I was at my worst
Down on my knees
And you said you had my back
So I wonder where were you
When all the roads you took came back to me
So I’m following the map that leads to you

The map that leads to you
Ain't nothing I can do

Vermelho, Vermelhão!

Ando numa de Vermelho! Acho que o Vermelho do blog subiu-me à cabeça! A verdade é que raras eram as vezes que usava vermelho, então nos lábios era mais para o nunca.
Tinha que chegar aos 36 para que o vermelho entrasse em força na minha vida. Afinal és Carneiro ou não és? (Signo de Fogo, subentenda-se)
Este batom da Rihanna é qualquer coisa de espectacular. Lógico que os lábios também o são mas o batom parece que vai lá ficar para sempre.
O coração, esse será para sempre Azul, atenção! Nada de confusões.




A quote a day keeps the doctor away #605


quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Há Mulheres com muita pinta #50

Acho esta mulher uma classe só! Umas acham-na sonsa e insonsa mas opiniões essa cada um tem a sua, eu adoro e acho-a um mulherão!









Quero enfiar-me em ti!

Blanco
 
Comprei esta saia nos saldos há quase um mês e ainda não a consegui vesti pois ou o tempo não está bom ou a selva amazónica começa a crescer e é preciso eliminar estes milagres da natureza.
Sol, quando voltas?

A quote a day keeps the doctor away #604


quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

Diy by Sav

Há dias pus no meu Instagram  esta foto como uma mensagem de Boa Noite. A verdade é que me caíram comentários e mails a perguntar onde comprei ou onde se arranjava, ao qual eu respondi: "Foi a Sav Maria que fez!" (eu sei é impressionante eu a concretizar um projecto até ao fim mas tenho dias)
 
Resolvi pôr aqui e partilhar o que é tão fácil de fazer: Uma moldura do IKEA, daquelas com profundidade RIBBA (se não me engano), um fundo impresso numa folha de papel (o meu retirei da Internet) e uns sapatinhos dos nossos bebés. Os da Sabrininhas são de facto as sabrinas vermelhas que lhe deram o nome blogosférico pelo qual é conhecida na Internet. Et Voilà! Nada mais simples e carregadinho de significado. ♥
Experimentem, é mesmo fácil!
 
 

Casais com muita pinta #7

Yo Bitch!!!



A quote a day keeps the doctor away #603